Home Blog

Apometria: o que é e para que serve?

Publicado em 26 de novembro de 2018 por Leonardo Möller

BLOG

A apometria é uma técnica ou um conjunto de técnicas cuja aplicação permite dinamizar reuniões mediúnicas de objetivos variados. O ponto central da prática apométrica é o desdobramento induzido, também chamado de projeção da consciência, fenômeno psíquico denominado sonambulismo magnético por Allan Kardec, o codificador do espiritismo, quem se mantém, há mais de um século e meio, como a maior autoridade em matéria de mediunidade.

Neste texto, pretende-se explicar por que a apometria é uma ferramenta que, se manejada com o devido conhecimento, traz importante contribuição ao exercício mediúnico de grupos sérios. Entre outros benefícios, proporciona: 1) ampliação e aguçamento das faculdades e da sensibilidade, ao consagrar o desdobramento magnético como método e condição regular de trabalho; 2) facilidade no deslocamento de objetos e barreiras no plano extrafísico, bem como dos próprios sensitivos nele projetados; 3) catalogação, diagnose e tratamento de um conjunto de patologias espirituais mais ou menos desconhecidas, que as pesquisas apométricas descortinaram; 4) estímulo ao emprego do magnetismo por meio de técnicas adicionais às de passe, já difundidas, propiciando a revitalização da equipe e o ajustamento da sintonia vibratória, a fim de favorecer as comunicações medianímicas, entre outras medidas; 5) estreitamento da relação e dos laços com os benfeitores espirituais, uma vez que os médiuns são levados até hospitais do astral superior e passam a atuar junto com eles, fortalecendo o senso de parceria entre os dois lados da vida; 6) exame do consulente em três esferas amplas, a saber: nível espiritual, concernente às questões de ordem obsessiva; âmbito energético ou fluídico, que abrange a fisiologia dos corpos extrafísicos; e aspecto anímico, associado aos conflitos inerentes à alma do espírito imortal ora reencarnado e submetido ao protocolo apométrico.

Novos cursos em breve

Para entender melhor o conceito de apometria, é preciso distinguir duas acepções do termo. De um lado, apometria se refere à técnica apométrica, ou seja, à aplicação dos princípios gerais desse conjunto de conhecimentos para finalidades as mais diversas no trato com o mundo extrafísico e o psiquismo humano. Nesse sentido, a metodologia básica da apometria consiste em emitir pulsos magnéticos, valendo-se do som e do ritmo, que se fazem acompanhar por comando verbal vigoroso e resoluto por parte de um operador, que é quem ministra a técnica ao longo de uma sessão.

De outro lado, o vocábulo designa o tratamento apométrico — os atendimentos que lançam mão dessa técnica e desse método. Isto é, remete ao ato de ser examinado segundo dita o protocolo de tratamento espiritual formulado pelo autor das pesquisas que levaram ao neologismo apometria, o médico gaúcho José Lacerda de Azevedo (1919–1997).

Entre outras vantagens, o tratamento apométrico permite um tipo de escrutínio personalizado com abrangência e profundidade ímpares. Não é isso o que se vê em outras práticas, ainda que bastante valiosas, largamente difundidas no meio espírita. Note-se: tal constatação não denota menosprezo por tais práticas, muito menos sua condenação. Ao contrário, cabe ressaltar o importante papel que desempenham, sobretudo considerando o grande fluxo de pessoas que acorrem às casas espíritas a cada semana em busca de socorro e a limitação de recursos disponíveis para dar a todos atenção individualizada, em virtude da escassez de tempo tanto de médiuns quanto de dirigentes preparados.

A propósito, dificilmente se é capaz de suprir integralmente a demanda que bate à porta de uma instituição séria, até porque, se a oferta de serviços for ampla e de qualidade, a procura decerto crescerá, provavelmente em ritmo mais acelerado do que seria viável aumentar em matéria de oferta. Não obstante isso, os benefícios da apometria decerto se destacam entre as técnicas disponíveis, conforme será apresentado a seguir.

 

APOMETRIA VERSUS DESOBSESSÃO

A reunião de desobsessão convencional se restringe a atender espíritos por meio de comunicação espontânea. Nem mesmo naquelas nas quais se lança mão do método kardequiano por excelência, a evocação, é possível mais do que sondar as companhias espirituais do indivíduo, procurando solucionar as questões obsessivas, o que se pode alcançar com relativo êxito.

Desse modo, ao analisar as reuniões de desobsessão ou evocação, cumpre ser preciso quanto a seu objetivo, que é tratar espíritos desencarnados. Evidentemente, espera-se que a abordagem de companhias espirituais ligadas aos consulentes redunde em benefício a estes, quanto mais se, com acerto, forem igualmente atacados os bolsões de realidade extrafísica e as construções astrais que os desencarnados atendidos povoam. Não obstante, é tudo quanto se pode fazer numa reunião do gênero, isto é, ocupar-se estritamente das questões de caráter espiritual ou obsessivo.

 

APOMETRIA VERSUS TRATAMENTO MAGNÉTICO

Ao contrastarmos os expedientes que a apometria oferece com os de outras espécies de terapia espírita, convém citar as reuniões comumente chamadas de tratamento espiritual, em que se praticam passes magnéticos e outras formas de aplicação do magnetismo animal ou da bioenergia. Apesar dos resultados notáveis que podem ser alcançados, é forçoso reconhecer que esse conjunto de recursos incide exclusivamente sobre o aspecto energético do consulente, seja quando permite atenuar e curar patologias diversas — tais como congestão ou desvitalização de chacras, contaminação fluídica e por parasitas energéticos —, seja quando produz o enfraquecimento e a dissolução de laços semimateriais perniciosos com espíritos quaisquer, situação que decorre, sem exceção, de todo quadro obsessivo, mesmo quando a obsessão, em si, já foi sanada.

Novamente, é o caso de delimitar com clareza: a terapia magnética trata exclusivamente de questões energéticas — muito embora seja capaz de fazê-lo com grande eficácia. É evidente que acarreta inegável melhora em outras áreas da vida de quem se lhe submete, entretanto, como explicitado, de maneira indireta.

 

VANTAGENS E BENEFÍCIOS EXCLUSIVOS DA APOMETRIA
OS TRÊS NÍVEIS: ESPIRITUAL, ENERGÉTICO E ANÍMICO

Na dinâmica de tratamento apométrico, é possível proceder ao exame minucioso não apenas de um, mas de três aspectos gerais da vida do indivíduo: espiritual, energético e anímico. Uma vez estabelecida a sintonia com o campo vibracional de determinado consulente, segundo metodologia bem descrita na teoria apométrica, passa-se à sondagem dos elementos espirituais propriamente ditos, ou seja, dos quadros obsessivos de ocorrência mais comum. Tomadas as devidas providências na abordagem dos espíritos porventura percebidos, é hora de averiguar os aspectos energéticos, tendo como referência a fisiologia astral. A atenção volta-se, então, para a situação e o funcionamento dos corpos extrafísicos, notadamente do perispírito — ou psicossoma — e, em casos que requeiram investigação mais ampla, do duplo etérico e do corpo mental.

Uma vez que, a esta altura do atendimento, o consulente já terá sido submetido ao desdobramento por meio dos comandos apométricos, é possível promover uma varredura criteriosa em seus corpos sutis. Avalia-se, assim, o estado dos chacras; esquadrinham-se desde congestões fluídicas até parasitas energéticos e ideoplastias malsãs que acometem a aura do indivíduo; detectam-se aparatos alojados na periferia do corpo astral, bem como artefatos tecnológicos e toda espécie de aparelho parasita mais sofisticado, geralmente instalados no sistema nervoso central.

Cabe lembrar que o organismo perispiritual é o modelo organizador biológico, ou seja, é a matriz que molda o corpo físico. Portanto, contém em si todos os órgãos e as estruturas neste observados, porém em dimensão mais sutil, fato que ilustra a complexidade da medicina espiritual.

Não apenas o consulente, mas também a equipe de médiuns — esta, desde a abertura das atividades — atua em desdobramento consciencial; sendo assim, os agentes e o alvo da investigação encontram-se na realidade astral. Esse fato promove ganho na acurácia das percepções e na eficácia da terapia empregada. Basta, para isso, que o operador disponha de conhecimento suficiente para formular hipótese diagnóstica plausível, sempre em discussão com o grupo, e, a partir dos dados coletados pela mediunidade, proponha e ministre procedimentos certeiros.

 

OMBRO A OMBRO COM A EQUIPE ESPIRITUAL

Não se pode deixar de destacar determinado elemento indispensável ao sucesso da dinâmica de tratamento apométrico. Trata-se da direção espiritual superior, exercida por espíritos dotados de retidão e de fibra moral, além de, necessariamente, capacidade técnica e perícia em assuntos de áreas como medicina, psicologia e magia ancestral, entre outras disciplinas fundamentais, as quais são suscitadas regularmente no exame feito com o auxílio da apometria.

A referência à coordenação espiritual enseja a menção a outro atrativo dessa metodologia. Nota-se que a apometria, ao recorrer ao desdobramento de forma sistemática, permite congregar, no mesmo plano vibracional, preferencialmente num hospital do astral superior, tanto enfermeiros encarnados quanto desencarnados, além do consulente. Quanto favorecimento decerto decorre desse fato! Os espíritos, assim, não são condenados ao adensamento vibratório como meio unilateral de estabelecer sintonia vibratória com os médiuns. No cenário descerrado pela dinâmica apométrica, não lhes cabe a quase totalidade do esforço a fim de alcançar a realidade física e agir sobre ela. Os chamados vivos também saltam barreiras dimensionais e procuram transcender sua condição — não apenas pelo pensamento, mas de fato —, na medida em que todo o tratamento se dá em âmbito consecutivamente superior, seja etérico ou astral. Trocando em miúdos: com a apometria, os espíritos descem e os encarnados ascendem, a fim de se encontrarem a meio caminho.

 

NÍVEL TRÊS: ANÍMICO

Por último, após a abordagem adequada das patologias de ordem fluídica porventura diagnosticadas, compete avançar para a terceira esfera de inspeção, que é de ordem anímica. Esse âmbito, finalmente, é atinente aos conflitos do próprio espírito, ou seja, inerentes à alma do sujeito sob exame.

Embora manifeste determinada personalidade em vigília, o ser encarnado é uma consciência imortal, dotada de história milenar e de desafios de variada natureza. Acumulados ao longo de sucessivas reencarnações, estes podem emergir no tempo presente e gerar consequências graves e improdutivas, criando severos obstáculos à trajetória individual.

A título de exemplo, uma das patologias anímicas mais corriqueiras identificadas pela apometria é a ressonância vibratória com o passado, que pode ser vista em graus variados. Em resumo, trata-se de um trauma ou estado marcante do pretérito remoto que, graças a um evento fortuito da vida atual, vem à tona e conecta o enfermo àquele momento infeliz. Em casos extremos, mas não incomuns, verifica-se que, tão logo se processa o desdobramento, o indivíduo exibe aspecto perispiritual totalmente incoerente com sua aparência física, pois assume feições condizentes com as que apresentava durante a encarnação a que foi remetido. Na prática, esse fenômeno indica que o consulente, assim que se desprende do corpo, vive como outra personalidade, em outra época, localizando-se psiquicamente num eu pretérito que ele próprio foi. A rejeição e a inadaptação à realidade presente, além da emergência de pensamentos e emoções desconexos, são apenas alguns dos efeitos da miríade de prejuízos que tal patologia acarreta, como não é difícil de imaginar.

Traumas sofridos na encarnação atual também podem suscitar a ressonância — nessa hipótese, devido à semelhança que guardam com experiências de vidas anteriores ou, então, como mecanismo psíquico de fuga da realidade problemática vigente. No entanto, fatos insuspeitos e mesmo triviais são, mais frequentemente, os responsáveis pela eclosão da enfermidade. Entre esses elementos desencadeadores, destacam-se a realização de viagens, a visita a locais e monumentos e até a inalação de certo odor, no caso de pessoas mais sensíveis, assim como audição de determinada música. Os mecanismos da memória atávica, afinal, são território largamente ignorado pelos homens. O protocolo apométrico, nesse sentido, dispõe de procedimentos eficazes para solucionar patologias semelhantes a esta, de ordem anímica, em apenas um atendimento.

É importante reafirmar que boa parte das enfermidades de natureza eminentemente espiritual pode ser sanada por terapias desobsessivas convencionais, associadas às de cunho fluídico. Males da esfera energética, também em grande medida, podem ser equacionados mediante aplicação de magnetismo. Mesmo o atendimento apométrico se beneficia bastante do tratamento prévio por meio de passes magnéticos e, não raro, requer essa terapia em caráter complementar, posteriormente à incursão apométrica, a fim de assegurar resultados mais duradouros. Já os conflitos de natureza anímica, por sua vez, são aqueles que mais evidenciam a rapidez da metodologia de Lacerda e a sua eficiência na resolução de casos. Embora haja outro gênero de conflitos anímicos, associado à encarnação atual e igualmente identificado no protocolo — o qual por vezes reclama psicoterapia e outras intervenções continuadas a fim de ser superado —, quadros como ressonância vibratória com o passado em regra dispensam medidas adicionais e abordagem futura.

 

APOMETRIA: POR QUE APRENDER?

Como se pode concluir, a apometria constitui uma técnica e um método de tratamento. Ambas essas acepções conceituam ferramentas preciosas, tanto para dinamizar reuniões mediúnicas — a indução do desdobramento com relativa facilidade é apenas a faceta mais visível do processo — quanto para catalogar, abordar e enfrentar uma gama de patologias que, em numerosos casos, dificilmente poderiam ser tratadas por outros meios.

Allan Kardec elabora duas afirmações, cada qual relacionada a uma das finalidades acima, que denotam os benefícios substantivos da projeção da consciência. “No estado de desprendimento em que se acha, o Espírito do sonâmbulo [isto é, o sensitivo desdobrado] entra mais facilmente em comunicação com os outros Espíritos encarnados, ou não encarnados”[1] — palavras que permitem constatar seguramente que, havendo como promover o desdobramento com facilidade, a faculdade mediúnica e, por conseguinte, as reuniões espíritas só têm a ganhar em rendimento e produtividade. Pouco antes no mesmo texto, lê-se: “Para o Espiritismo, o sonambulismo [hoje denominado desdobramento] é mais que um fenômeno fisiológico; é uma luz projetada sobre a psicologia. É aí que se pode estudar a alma, pois é nele que ela se mostra claramente”[2]. Com efeito, depara-se com tamanha clareza ao se confirmar a importância da contribuição, aos tratamentos de saúde, de um estado que seria, mais de um século depois das palavras kardequianas, obtido sem grandes esforços por meio da técnica desenvolvida a partir das investigações do médico gaúcho.

Com a apometria, descortina-se todo um universo de possibilidades enquanto se desbravam o plano extrafísico e suas particularidades, e também se desvenda a alma humana. É hora de estudar e se capacitar para manejar com perícia, segurança e destreza essa ferramenta.

 


[1] “Resumo teórico do sonambulismo, do êxtase e da segunda vista”. In: KARDEC, Allan. O livro dos espíritos. Tradução de Evandro Noleto Bezerra. Rio de Janeiro: FEB, 2011. p. 318, item 455.
[2] Idem. p. 317, item 455.

Facebook Email

Comentários

Filtros:
Deixe seu comentário
Acessar minha conta
Inscreva-se

Mínimo de 8 caracteres contendo letras e números.

Esqueci minha senha
Problemas de acesso?

Veja se o nosso suporte técnico pode te ajudar. Porém, antes de entrar em contato, verifique se já temos a resposta para a sua dúvida.

Entre em contato
via CHAT

ou via Skype
suporte.colegiado